Carta ao(s) cara(s) que filma(m) mulheres transando e coloca(m) na internet

por not marriage material

Ao contrário das mulheres que tem seus rostos, seus nomes e suas vidas escancaradas pelas suas ações, infelizmente é mais difícil saber quem você é. Você é o cara que segura a câmera, que muitas vezes não se mostra, pra depois poder negar tudo. Quando se mostra é com orgulho, porque o seu desejo não é motivo de vergonha. Só o seu.

É isso que você faz. Usa o desejo delas como arma contra elas mesmas. As humilha com suas próprias vontades, as destrói com seu próprio prazer.

Eu queria dizer que tenho até pena de você. Até mais do que nojo, tenho pena. Porque alguém que tem um desrespeito desse tamanho pelo outro não pode gozar plenamente. Nem sozinho, nem acompanhado. Essa sua sexualidade limitada, centrada nesse iceberg que você tem no meio das pernas é ridícula. Você usa sexo pra machucar porque, como todo misógino, você odeia seu desejo.

Por todas as mulheres e todos os homens que não são só pica e buça, que tem no meio das pernas apenas o epicentro quente de um corpo inteiro cheio de potência deliciosa de satisfação, por todos os seres humanos maravilhosos que adoram sexo suado, safado e molhado, que não tem medo de gozar do jeito que for e que, principalmente, não tem medo do gozo do outro, eu espero que um dia a gente seja tão feliz e esteja tão a vontade com a nossa sexualidade e com a dos outros que situações como essa não façam o menor sentido.

Anúncios