Eu gosto de ser branca.

por not marriage material

Eu gosto de ser branca. Eu gosto da cor da minha pele, eu gosto dos meus traços, eu gosto do meu cabelo lisinho e meio loiro. E sabe por que eu gosto? Porque sempre foi muito fácil gostar. Nunca, implícita ou explícitamente, alguém me disse alguma coisa que me fizesse sentir que havia algo de errado, algo de feio, algo de esquisito, na minha pele branquinha, no meu cabelo loirinho. Nunca disseram pra minha mãe que ela deveria fazer alguma coisa a respeito do meu cabelo. A maioria nas universidades é branca. A maioria nos concursos públicos é branca. São os brancos também que tem mais dinheiro.

Sou mulher, e já fui destratada de diversas formas e sofri violências de diversos tipos por ser mulher, e as vezes por outros motivos, mas nunca simplesmente por ser branca.

Então, gostar de ser branca eu até posso dizer que gosto, porque as minhas vivências como pessoa branca não me ofereceram nenhuma dificuldade em aceitar isso como valor positivo. Agora orgulho? Orgulho pra que? Orgulho de que? Eu não conquistei isso, eu nasci assim e por ter nascido assim já me foram concedidos muitos privilégios. Se eu não tenho tudo de mão beijada, e eu não tenho, se eu preciso lutar pra conquistar muitas coisas, e eu preciso, isso não passa ainda pela luta pra mostrar que minha cor tem o mesmo valor que a sua.

Esses dias eu ouvi alguém (branco) dizendo: “eu não vou ter vergonha da minha cor”. Pois é, não vai mesmo, essa é justamente a questão. Gente branca nunca precisou ter vergonha da própria cor. Se você é branco você já ganhou um ponto positivo na média. Uma estrelinha. Você quer quantas? Ou você só quer que o amiguinho não ganhe uma também? Sociedade birrenta é sociedade que não evolui, simplesmente porque não consegue pensar coletivamente.

“Se ele pode ter orgulho de ser negro eu posso ter orgulho de ser branco”. Não, não pode. Você não precisa querer ser negro, você não precisa detestar ser branco, você só precisa parar de fazer birra.

“Mamãe, mamãe, mamãe, também quero ter orgulho”. Pois é criança, mas o seu coleguinha tem que resistir a uma porção de preconceitos plantadíssimos na sociedade todo dia, preconceitos diretamente ligados a cor dele e que afetam todas as esferas da sua vida, da autoestima baixa até correr maior risco de ter uma morte violenta. O orgulho negro faz sentido porque numa sociedade que historicamente (e ainda hoje) o coloca como inferior, se orgulhar da própria cor é um ato de resistência. Não precisa ter vergonha de ser branco. Mas eu consideraria ter vergonha de sair por aí dizendo que tem orgulho de ser branco.

Isso vale pro orgulho hétero também, e pra qualquer outro orgulho dominante. Pode ter orgulho sim, mas vai ter orgulho de outra coisa. De alguma coisa boa que você realmente fez, ligada a alguma dificuldade real que você tinha e superou, e para de fazer birra.

Anúncios