Você sabe. Você lembra.

por not marriage material

Você sabe. Você lembra. Ela disse que estava cansada, você insistiu até que ela consentisse. Você sabe. Você lembra. Ela estava dormindo, mas você começou mesmo assim. Você sabe. Você lembra. Ela disse “pare”, mas você estava quase gozando, era só mais um pouquinho, então você continuou. Você sabe. Você lembra. Ela disse não mas você fingiu não ouvir, ela disse não de novo, e você fingiu não ouvir de novo, e então ela se calou e você prosseguiu como se nada tivesse acontecido. Você sabe. Você lembra. Ele te contou o que fez com ela na mesa do bar, você riu, desconfortável, e apenas mudou de assunto. Você sabe. Você lembra. Ela não respondia com qualquer sinal de excitação, mas você fingiu não saber a diferença entre excitada e amedrontada. Você sabe. Você lembra. Ela ficou vermelha e envergonhada com os comentários do companheiro, mas você pediu mais uma cerveja e não falou nada. Você sabe. Você lembra.

Eu entendo que você se sente envergonhado. Mas o dia de hoje não é sobre a sua vergonha.

Hoje, se posicione, se você sentir vontade de se posicionar. Diga que você é contra a cultura do estupro, diga o quanto você despreza homens que tratam mulheres dessa maneira.

Hoje, tire um tempo do seu dia para pensar em tudo que você já fez às mulheres. Pense em todas elas, todas as que passaram pela sua vida. Faça esse exercício longo, doloroso, cheio de culpa. Se você sentir vontade de se desculpar, se desculpe, mas, por favor, não faça pedidos públicos de desculpas. Esse dia não é sobre a sua redenção, sobre a sua evolução como ser humano. Se você se sentir realmente impelido a pedir desculpas, sem pedir nada em troca, se você estiver realmente arrependido e preocupado com as mulheres, por favor, peça desculpas, mas somente a elas. Faça com que cada uma de nós saiba que você sabe, que você lembra, que você assume a culpa, que você nunca mais vai fazer isso. E não peça resposta, e não poste no facebook, e não exija nada. Por elas. Para elas. Faça algo por nós, mas realmente por nós. E só faça isso se for verdade, se você tiver um compromisso real com isso.

Hoje, se comprometa. O mais importante de tudo é que você se comprometa a nunca mais na sua vida inteira fazer aquilo de novo, que se comprometa a nunca mais nos esmagar, a nunca mais nos humilhar, a nunca mais nos estuprar, a nunca mais nos destruir, a nunca mais nos diminuir, a nunca mais se esquecer dos efeitos que suas ações, por menores que sejam, tem sobre cada uma de nós.

Anúncios